Politica

Governo garante mais 5 ME para organizações florestais

O ministro do Ambiente e Ação Climática deixou claro que Portugal precisa da floresta e garantiu que o país vai ser neutro em carbono em 2050.

João Pedro Matos Fernandes garantiu, esta quinta-feira, que os apoios aos produtores florestais vão aumentar e revelou que o orçamento do fundo florestal permanente vai ter mais cinco milhões de euros para apoiar as organizações florestais.

“Sejamos honestos, se 97% da floresta é de alguém que não o Estado, é evidente que os apoios a esse alguém têm mesmo que aumentar a partir de agora”, afirmou o ministro do Ambiente e Ação Climática. “E posso garantir-vos que no próximo ano, no orçamento do fundo florestal permanente, isso vai ser muito evidente".

O governante explicou ainda que há uma parcela, com expressão, do fundo florestal permanente que era dedicada a pagar medidas agroambientais mas que, no entanto, nada tinha a ver com a floresta.

O ministro deixou claro que Portugal precisa da floresta e garantiu que o país vai ser neutro em carbono em 2050. “Fomos o primeiro país do mundo a dizer que iremos ser neutros”, lembrou.

João Pedro Matos Fernandes não deixou de realçar o trabalho feito pelo Executivo nos últimos anos. “A média dos últimos 10 anos de área ardida nas áreas protegidas e parques naturais era na ordem de mais de 11 mil hectares por ano. No ano passado foi de 1.400 hectares e, este ano, mil hectares", sustentou.