Politica

Rio faz campanha q.b. mas adversários rodam o país

Debates televisivos podem ser decisivos numa corrida para convencer os militantes sociais-democratas. O primeiro é já nesta quarta-feira. Rui Rio vai fazer uma campanha light, mas estará em todos os distritos. As eleições estão marcadas para 11 de janeiro. 

 

A campanha interna do PSD para eleger um novo líder está na estrada, mas o presidente social-democrata e recandidato, Rui Rio, fará uma versão mais curta do que há dois anos, ainda que vá a todos os distritos, apurou o SOL.  Os seus adversários, Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz, pelo contrário, estão a percorrer o país com a lógica de que é preciso chegar a todos. Hoje, por exemplo, Montenegro terá um comício no Porto (o primeiro) e Pinto Luz rumará a Évora.

No próximo dia 4, dia da morte do fundador do partido, Francisco Sá Carneiro, os três candidatos juntam-se na RTP, para o único debate já certo.  De acordo com informações recolhidas pelo SOL, o palco televisivo pode ser decisivo para captar o chamado voto livre dos militantes do partido. Isto porque as regras para pagar quotas são mais apertadas, o universo eleitoral está, neste momento, nos 22150  potenciais votantes, e não dá garantias de vitória, à partida, para nnhum dos concorrentes.

Para Rui Rio, à semelhança do que aconteceu nas legislativas, um debate pode fazer toda a diferença. Sobretudo porque o líder do partido está dividido entre o palco institucional e a recandidatura. Contudo, entre os seus apoiantes, procura-se desvalorizar o peso do confronto televisivo. Certo é que a discussão a três será importante para qualquer um dos candidatos e há mais duas propostas de debates na TV para janeiro, nos dias 3 e 6. Se todos os candidatos aceitarem, a campanha em janeiro pode alterar o jogo para convencer os militantes mais indecisos, sobretudo para Rui Rio e Luís Montenegro que pretendem uma vitória logo à primeira volta.

Divisão até na JSD

Um dos sinais de que o partido está dividido é o facto de destacados militantes da JSD dispersarem os seus apoios pelas três candidaturas. 

Margarida Balseiro Lopes, líder da JSD, assumiu a título individual o apoio a Luís Montenegro num artigo de opinião no Público. Se o antigo líder parlamentar vencer as eleições diretas de 11 de janeiro, Margarida Balseiro Lopes poder ser uma figura crucial no Parlamento, fazendo a ponte com Montenegro, que já não é deputado.

Do outro lado está a secretária-geral da JSD, Sofia Matos. A também deputada é mandatária nacional para a juventude de Rui Rio. Por seu turno, Alexandre Poço, vice-presidente da JSD, apoia Miguel Pinto Luz.   Tanto Sofia Matos como Alexandre Poço podem vir a ser, no futuro, candidatos à sucessão de Margarida Balseiro Lopes, uma vez que a atual presidente da JSD atinge a idade limite para renovar mais um mandato na estrutura já no próximo ano. Por seu turno, Pinto Luz reclama ainda os apoios do  ‘vice’ da ‘jota’ João Louro e da presidente da mesa da congresso da JSD, Mafalda Cambeta.

Alberto João Jardim e Rio

Na Madeira, Rui Rio terá, sem surpresas, o apoio de Alberto João Jardim. 

O antigo presidente do Governo Regional  será seu mandatário na campanha interna no arquipélago. 

Do lado dos adversários de Rio, os apoios dividem-se, sendo que há um nome a realçar na lista de Pinto Luz: o de Rui Abreu, que foi secretário-geral do PSD/Madeira durante vários anos com o atual líder regional, Miguel Albuquerque. Por sua vez, Montenegro tem a eurodeputada Cláudia Monteiro de Aguiar como sua mandatária na Madeira.