Sociedade

Marcelo não vai cumprimentar Greta Thunberg por considerar que podia ser visto como “aproveitamento político”

Presidente da República saudou passagem da jovem ativista ambiental por Portugal.

Marcelo Rebelo de Sousa comentou a passagem de Greta Thunberg por Portugal durante uma visita à sede nacional do Banco Alimentar Contra a Fome, adiantando que não vai cumprimentá-la à Doca de Alcântara, em Lisboa, uma vez que o gesto poderia ser interpretado como “um aproveitamento político”.

“O presidente da Câmara de Lisboa, e bem, vai recebê-la, tal como os deputados que patrocinam a sua vinda devem receber. Eu aí tenho uma posição mais discreta, que é de entender que é uma grande alegria tê-la entre nós, é um fator de mobilização de todos”, disse Marcelo.

Questionado sobre a eventual possibilidade cumprimentar pessoalmente a jovem ativista ambiental, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que ainda pensou em fazê-lo. “Pensei duas vezes, estar a misturar podia ser considerado um aproveitamento político por mim de uma realidade mais ampla e mais vasta e acho que não tenho esse direito”, justificou.