Economia

Norte do país foi a região que mais cresceu em Portugal

Dados das contas regionais de 2018 indicam que o norte foi impulsionado pelo turismo e pela indústria e energia. Lisboa também cresce acima da média nacional. Alentejo e Madeira na cauda da tabela.

De acordo com os resultados provisórios das contas regionais de 2018, estima-se que todas as regiões tenham registado crescimentos do PIB em termos reais, embora com intensidades diferenciadas, sendo a região norte (2,9%) e a área metropolitana de Lisboa (2,6%) as únicas com crescimento superior à média nacional, que se situou nos 2,4%. Segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, o crescimento no norte do país foi impulsionado pelo turismo e pela indústria e energia.

No Algarve o crescimento foi idêntico ao do país, enquanto no Centro (2,2%) e na região autónoma dos Açores (2%) o PIB registou crescimentos mais moderados. O Alentejo e a região autónoma da Madeira apresentaram as variações do PIB mais baixas (1,0% e 0,6%, respetivamente).

Os resultados finais de 2017 revelaram que as assimetrias do PIB per capita entre as 25 regiões portuguesas atingem a sua expressão máxima na comparação do Alentejo Litoral (138,9) com a do Tâmega e Sousa (60,8). Note-se que, face a 2016, verificou-se um aumento da disparidade regional neste indicador, passando a diferença entre essas duas regiões de 72,1% para 78,1%, sobretudo devido ao crescimento do PIB per capita do Alentejo Litoral.

Ainda assim, no contexto da União europeia, considerando a informação referente a 2017 por regiões NUTS II, Portugal destacava-se por ser um dos países com assimetrias regionais mais baixas em termos do PIB per capita.