Politica

Rio defende criação de medidas específicas de apoio à economia para o Algarve

O líder dos sociais-democratas defende que a região não pode ser tratada da mesma maneira "porque a dependência que as áreas metropolitanas do Porto e de Lisboa têm do turismo, é grande, mas não na proporção que é no Algarve".

O presidente do PSD defendeu, esta quarta-feira, a criação de medidas específicas de apoio à economia do Algarve.

"O Algarve não pode ser tratado da mesma maneira, porque a dependência que as áreas metropolitanas do Porto e de Lisboa têm do turismo, é grande, mas não na proporção que é no Algarve", defendeu Rui Rio, em Albufeira.

Durante o primeiro de dois dias de visita à região, o líder social-democrata afirmou que o Executivo tinha a obrigação de olhar para o Algarve de forma diferente, dada a dependência que a região tem do turismo, um setor altamente afetado pela propagação da covid-19.

"O que entendo do que tenho ouvido, é que para lá das medidas transversais que têm de existir para a economia portuguesa, aqui [Algarve] há uma especificidade e o Governo tem obrigação de olhar para essa especificidade", sublinhou.

Rui Rio afirmou ainda que poderá fazer sentido a criação de medidas de apoio às empresas, por via do 'lay-off', mais concentradas para os meses de agosto e de setembro, destacando que, no Algarve, “esses meses até são os menos maus".

"Aquilo que se prevê devido à sazonalidade, estimo eu, em outubro, novembro e a partir dai, é que se as empresas não faturaram de uma forma minimamente equilibrada no verão, como é que vão suportar depois os meses seguintes?", questionou, afirmando que a implementação de medidas servirá para atenuar – e não resolver – os problemas sociais “gravíssimos” que são esperados fora da época alta.