Politica

Rui Rio diz que entendimento com Chega não depende do PSD mas sim do partido de Ventura

“Se o Chega evoluir para uma posição mais moderada, eu penso que as coisas se podem entender", afirmou o líder dos sociais-democratas.

O presidente do PSD admitiu no futuro poder haver conversações com o Chega, no âmbito de eventuais a entendimentos eleitorais, mas deixou uma ressalva.

Um eventual entendimento entre os dois partidos “não depende do PSD, depende do Chega”, disse Rui Rio, em entrevista à RTP.

“Se o Chega evoluir de uma tal maneira que - embora seja um partido marcadamente de direita, em muitos casos de extrema-direita, muito longe de nós que estamos ao centro -, se o Chega evoluir para uma posição mais moderada, eu penso que as coisas se podem entender", esclareceu.

Por outro lado, "se o Chega continuar numa linha de demagogia, de populismo, da forma como tem ido, há aqui um problema, porque aí não é possível um entendimento com o PSD", acrescentou.

Pressionado para dizer que então não descarta a hipótese do tal entendimento, o presidente do PSD respondeu: "Face ao que o Chega tem sido, descarto. Espero é que o Chega possa evoluir para um plano um pouco mais moderado, então não estou a dizer que se faça, mas é possível conversar".