Internacional

Trump diz que foi informado de que explosões no Líbano resultaram de uma "bomba"

O chefe de Estado declarou esta quarta-feira como dia de luto nacional pelas vítimas das explosões. Segundo um balanço da Cruz Vermelha, há mais de cem mortos e quatro mil feridos.

O Presidente dos Estados Unidos disse, esta terça-feira à noite, que as explosões no porto de Beirute, que ocorreram durante a tarde, “pareceram um ataque terrível” e que especialistas militares lhe disseram que estas teriam sido resultado de uma “bomba”.

"Eu falei com os nossos generais e parece que não foi um acidente industrial. Parece, segundo eles, que foi um ataque, uma bomba", disse Donald Trump em declarações a jornalistas.

Recorde-se que as autoridades libanesas disseram, ainda durante terça-feira, que as explosões poderão ter tido origem em cerca de 2.750 toneladas de amónio, um fertilizante químico que é também um componente de explosivos. As toneladas de nitrato de amónio estariam num depósito no porto da capital libanesa, e o primeiro-ministro do país considerou “inadmissível que um carregamento de nitrato de amónio, estimado em 2.750 toneladas, estivesse há seis anos num armazém, sem medidas de precaução”. “É inaceitável e não podemos calar-nos sobre esta questão", disse Hassan Diab.

O chefe de Estado declarou ainda um dia de luto nacional, esta quarta-feira, pelas vítimas das explosões e prometeu mais esclarecimentos acerca do armazém “perigoso”.

A secretária de Estado das Comunidades Portugueses, Berta Nunes, disse, esta quarta-feira, à agência Lusa que não havia indicações de que entre as vítimas estivessem portugueses.