Politica

Costa compara Rui Rio a Passos Coelho depois de críticas do líder do PSD

Em causa estão as acusações de Rui Rio ao Governo, depois de Costa defender que devemos sair desta crise com "melhores salários".

O primeiro-ministro disse, esta quarta-feira, estar "preplexo" com as palavras do presidente do PSD depois de este ter comparado o Governo atual com o de José Sócrates, em 2009, referindo-se às declarações de Costa, que defendeu que o país tem de sair desta crise com "melhores salários". "Faz-me lembrar quando o Governo de José Sócrates aumentou os salários sem ter condições para o fazer e a seguir cortou os salários”, afirmou Rio, esta quarta-feira, no Parlamento, durante o debate sobre o Plano de Recuperação e Resiliência.

Costa decidiu também comparar o presidente do PSD ao seu antecessor, Pedro Passos Coelho, e acusou-o de criticar sem apresentar "uma única ideia e sem uma única proposta para o futuro". "A única ideia que [Rui Rio] revelou ficou implícita na sua preocupação sobre o salário mínimo nacional. Até me pareceu ouvir o seu antecessor [Pedro Passos Coelho] falar aqui, em 2016, quando defendeu que o aumento do salário mínimo ia destruir a criação de emprego, ia destruir as empresas e a economia. Mas demonstrámos ao seu antecessor - e o senhor estará cá também para ver - é que o reforço do rendimento das famílias é uma condição essencial para revitalizar a economia", contrapôs António Costa.

Apesar de Rio defender o aumento do salário mínimo, o líder do PSD sublinha que esta não é a altura certa em que a inflação é nula e o país está a passar por uma "grande incerteza sanitária" e diz que um aumento vai aumentar os desempregos e sobrecarregar as empresas.

Durante o debate, o primeiro-ministro defendeu ainda que as empresas do futuro não são as empresas dos baixos salários". "São as empresas que beneficiam do investimento na inovação, que reforçam o seu capital, que se modernizam e aumentam a sua presença no mercado externo. Quem conta os sentimos do salário mínimo nacional são mesmo aqueles que recebem o salário mínimo. E para esses temos de responder prosseguindo com a trajetória de aumento do salário mínimo", destacou o chefe do Governo.