Desporto

Giro: sonho cada vez mais cor-de-rosa

João Almeida foi 2.º na 13.ª etapa e consolidou liderança na Volta a Itália em bicicleta: português ficou a milímetros de vencer e aumentou para 40 os segundos de vantagem na geral.

O ciclista português João Almeida (Deceuninck-Quick Step) prepara-se para entrar este sábado em ação na 14.ª etapa do Giro, pelo 11.º dia com a camisola rosa, símbolo de liderança da geral. Esta sexta-feira, o ciclista das Caldas da Rainha voltou a brilhar na Volta a Itália, tendo terminado a 13.ª etapa em 2.º lugar, a milímetros do vencedor, o italiano Diego Ulissi, com o tempo de 4h22’18’’. Graças à bonificação de 10 segundos garantida com o segundo posto, o jovem luso de 22 anos reforçou a liderança na classificação geral. Na tabela, são agora 40 os segundos de vantagem que o corredor da Deceuninck-Quick Step leva sobre o segundo classificado, o holandês Wilco Kelderman (Sunweb), que chegou integrado no mesmo grupo que o português, mas que não bonificou. A fechar o pódio da geral surge o espanhol Pello Bilbao (Astana), agora a 49 segundos.

Para hoje está agendado um contra-relógio de 34,1 quilómetros, uma das especialidades de João Almeida. Recorde-se que no ‘crono’ inaugural João Almeida foi segundo, só atrás do campeão mundial da especialidade, o italiano Filippo Ganna (INEOS). Assim, o português poderá aproveitar o dia para voltar a alargar a vantagem na liderança, antes da chegada da alta montanha, prevista para domingo. Após nova demonstração de força, Almeida diz-se cada vez mais confiante: «Mantenho-a [a rosa] a cada dia e talvez eles [adversários] comecem a pensar que a posso manter até final. Talvez não... Amanhã [Hoje] será o 11.º com esta camisola, será muito especial começar com a rosa. Mal posso esperar para começar, ainda para mais na última posição, por isso será interessante e estou entusiasmado», declarou em conferência de imprensa o ciclista luso. Como líder da classificação, o português será o último a sair para a estrada: «Nunca fiz um contrarrelógio tão longo, por isso será novo para mim. Se estiver num dia bom, talvez fique e até aumente. Se tiver um mau certamente que vou perder tempo para os outros candidatos. Amanhã vamos ver como as pernas estão, mas de certeza que vamos dar tudo o que temos».

 

Guerreiro da montanha

De relembrar que a página histórica portuguesa no Giro não tem sido escrita apenas por João Almeida. No último domingo, Rúben Guerreiro (EF Pro Cycling) venceu a 9.ª etapa da competição, tornando-se o segundo português a ganhar uma etapa da grande corrida italiana, depois de Acácio Silva, que venceu cinco tiradas em 1985 e 1986. Ontem, Guerreiro também chegou com os da frente e conseguiu também aumentar a sua vantagem como líder da montanha (camisola azul), ao passar na frente na contagem do dia, de quarta categoria.

O Giro2020 termina no próximo dia 25 de outubro.