Politica

"Sá Carneiro estaria revoltado"

Fundador do PSD morreu há 40 anos.

A JSD apresenta, esta sexta-feira, o livro 40 Anos, 40 Testemunhos sobre Sá Carneiro, numa homenagem ao fundador do partido Francisco Sá Carneiro, que perdeu a vida há 40 anos na queda do avião em que seguia, em campanha para as presidenciais. A iniciativa contará com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do presidente do PSD, Rui Rio.

O líder da JSD, Alexandre Poço, o principal dinamizador da iniciativa, explicou ao i que esta foi a forma de homenagear a figura do fundador do PSD, juntando testemunhos de personalidades, do PSD, CDS, PPM e PS ou independentes, que privaram com Sá Carneiro ou se identificam de alguma forma com o seu pensamento.

Para Alexandre Poço, Sá Carneiro sentir-se-ia feliz por Portugal ter consolidado a sua democracia, sem tutelas, e aderido à CEE. Porém, “há ainda um Portugal que está por fazer no que diz respeito à justiça social, à qualidade de vida dos portugueses”. Por isso, diz Alexandre Poço, Sá Carneiro estaria “sem dúvida revoltado com a situação de milhares de portugueses, traduzida em dificuldades”. Questionado pelo i se Sá Carneiro poderia ver com bons olhos uma aliança com o Chega, Alexandre Poço arrumou, contudo, o assunto: “Não é numa homenagem a Francisco Sá Carneiro que devemos descer para a política térrea desse tipo de considerações sobre alianças com A ou com B”.