Politica

Marcelo com mais 120 mil votos do que em 2016

Marcelo Rebelo de Sousa ficou a 10 pontos percentuais do recorde de Mário Soares, em 1991, mas conseguiu repetir o feito de ser claramente o mais votado em todos os distritos do país.


Como Mário Soares em 1991 e Cavaco Silva em 2011, também Marcelo Rebelo de Sousa consegue a proeza de ser reeleito como candidato mais votado em todos os distritos de Portugal continental e nas ilhas dos Açores e da Madeira. E apesar de ficar quase a 10 pontos percentuais do recorde de Soares (60,70% contra 70,35%), Marcelo comete a proeza (até aqui exclusiva de Mário Soares e de Ramalho Eanes) de ser reeleito com mais votos do que os obtidos na eleição para o primeiro mandato. E Marcelo consegue este resultado num ato eleitoral marcado pela pandemia de covid-19 e com uma abstenção de mais de 60%, o que constitui um novo recorde em eleições para a escolha do chefe de Estado.

Ainda assim, verificando-se um crescimento de cerca de 10 pontos na percentagem de abstencionistas, há a registar que quase metade resultam do recenseamento automático dos emigrantes. De qualquer modo, sublinhe-se que em todas as presidenciais anteriores se verificou um aumento médio da abstenção de perto de 15% nas eleições para um segundo mandato em relação às do primeiro.

Curiosamente, e apesar de Ana Gomes ter ficado muito aquém das votações de outros candidatos socialistas em presidenciais anteriores que não contaram com o apoio formal do Partido Socialista (como Sampaio da Nóvoa em 2016 ou Manuel Alegre em 2011), também a candidata da área socialista conseguiu um recorde no passado domingo: tornou-se a mulher mais votada de sempre, batendo a marca de Marisa Matias há cinco anos (10,13%).

Ainda assim, o facto que mais abalou todo o panorama político português nestas presidenciais, com repercussões profundas tanto à esquerda (em que os candidatos do PCP e do BE sofreram claros desaires eleitorais) como à direita, foi a votação em André Ventura, líder do Chega, de extrema-direita, que pela primeira vez na história dos 45 anos de democracia portuguesa ultrapassa os dois dígitos, reunindo quase 500 mil votos. Ventura ganhou a Ana Gomes em 11 distritos e surpreendeu sobretudo com o segundo lugar em todo o Alentejo – onde bateu claramente o candidato comunista João Ferreira.

 

Resultados Globais

Marcelo Rebelo de sousa - 60,7%
Ana Gomes - 12,97%
André Ventura - 11,90%
João ferreira - 4,32%
Marisa Matias - 3,95%
Tiago Mayan Gonçalves - 3,22%
Vitorino Silva - 2,94%