Politica

Rio anuncia em março escolhas para Lisboa e Porto

Líder do PSD mantém conversas para as escolhas dos candidatos. Carlos Moedas é um dos desejados para a capital entre os sociais-democratas.

O líder do PSD avocou todo o processo da escolha dos candidatos por Lisboa e Porto, sendo certo que só em março anunciará quem serão os candidatos às duas principais autarquias do país pelos sociais-democratas. Rui Rio, contudo, tem mantido conversas para definir quem serão os mais bem colocados, sendo certo que para Lisboa, o desejado entre sociais-democratas ouvidos pelo Nascer do SOL é Carlos Moedas, ex-comissário europeu.

O próprio falou com algumas pessoas a dar sinais de que não seria candidato; contudo, isso não altera as conversas de bastidores sobre qual será a melhor opção em cima da mesa. Ainda assim, outros dois nomes também têm sido falados para a principal autarquia do país: Miguel Poiares Maduro e Ricardo Baptista Leite. O Expresso avançou que serão os dois nomes da lista curta de Rio. Mas um dos visados, Miguel Poiares Maduro (antigo ministro adjunto de Passos Coelho) repete a este semanário o que já disse há vários meses: «Já referi várias vezes publicamente que essa hipótese não se coloca (e também não fui abordado, o que é normal, visto que manifestei publicamente não ter disponibilidade para qualquer candidatura desse género neste momento)».

No Porto, o processo ficou algo parado quando Paulo Rangel, eurodeputado, disse não a Rui Rio, após uma conversa antes do Natal. Já a hipótese de Santana Lopes vir a ser candidato autárquico por alguma câmara do país pelo PSD parece completamente afastada. O próprio assegurou que no atual cenário, com a pandemia de covid-19, não entraria nesse combate. E sugeriu o adiamento de eleições numa entrevista ao DN. Noutra entrevista recente ao Nascer do SOL, Santana Lopes respondeu: «A minha posição em relação a todas as câmaras é a mesma. Neste momento, não penso nisso. Hoje em dia sou advogado, tenho o meu escritório. Deus me dê vida e saúde para atravessar esta pandemia».

De facto, um dos cenários que foi apontado como hipótese para Santana Lopes concorrer com o apoio do PSD seria o da Figueira da Foz. Mas, no PSD, as estruturas locais depressa se posicionaram para garantir que Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro, é o candidato. Na direção do partido já havia este dado.

No distrito de Lisboa, o PSD está apostado numa aproximação a Isaltino Morais para o apoiar na recandidatura em Oeiras.