Politica

Marcelo Rebelo de Sousa já não vai visitar comunidade portuguesa em Bruxelas no dia 10 de Junho

Em causa está o contexto pandémico na cidade belga. 


Marcelo Rebelo de Sousa cancelou, esta quinta-feira, as comemorações do 10 de Junho em Bruxelas, devido ao contexto sanitário na cidade.

"O Presidente da República, em acordo com o Governo, decidiu cancelar as celebrações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas previstas para Bruxelas face à situação sanitária na capital da Europa", disse a assessoria de comunicação social da Presidência da República à agência Lusa.

Assim, o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas será celebrado apenas na Madeira. Este é o segundo ano consecutivo que não haverá comemorações do feriado nacional no estrangeiro.  

Recorde-se que a Presidência da República anunciou, no dia 24 de março, que as celebrações do 10 de Junho iriam realizar-se no arquipélago da Madeira, como estava previsto para 2020, mas acabou por não acontecer devido à pandemia de covid-19, e na Bélgica, junto da comunidade portuguesa.

Em 2020, o chefe de Estado ia comemorar este feriado nacional na Região Autónoma da Madeira e na África do Sul, no entanto a pandemia trocou as voltas e levou o Presidente da República a celebrar o dia com “uma cerimónia simbólica” no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, apenas com os dois oradores e seis convidados.

De mencionar que este modelo de celebração do 10 de Junho foi lançado originalmente por Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa, no primeiro mandato do Presidente da República, no qual são organizadas cerimónias em território nacional e junto de comunidades emigrantes no estrangeiro com a participação dos dois altos cargos da República portuguesa.