Sociedade

Número de estudantes inscritos no ensino superior atinge valores recorde

O último recorde de alunos inscritos no ensino superior tinha sido registado há 10 anos – no ano letivo 2010/11 – com cerca de 403 mil estudantes.

Número de estudantes inscritos no ensino superior atinge valores recorde

Portugal tinha quase 412 mil estudantes inscritos no ensino superior no último ano letivo de 2020/21, “um novo máximo histórico”, segundo dados divulgados esta quinta-feira pela Direção-Geral de Estatísticas de Educação e Ciência.

Os 411.995 alunos inscritos em 2020/21 ultrapassam em 15 mil os registados no ano letivo de 2019/20, o que representa um aumento de 4% - a taxa de crescimento anual mais elevada da última década.

Em comunicado, o Ministério da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior sublinha que estes dados “acompanham o crescimento da taxa de escolaridade do Ensino Superior da população residente entre os 30 e os 34 anos, que atingiu 45,5% no 2.º trimestre de 2021, reforçando a tendência crescente dos últimos anos”

“Mostra ainda uma evolução crescente e contínua do ciclo de expansão do ensino superior verificado desde 2015, ano em que o número de inscritos no Ensino Superior era inferior a 350 mil”, acrescenta a nota do ministério.

O último recorde de alunos inscritos no ensino superior tinha sido registado há 10 anos – no ano letivo 2010/11 – com cerca de 403 mil estudantes.

A nota revela ainda que 81% dos estudantes estão inscritos no Ensino Superior público, um aumento de 4% em relação ao ano anterior.

Do total de inscritos, 150 mil frequentam o ensino politécnico e 261 mil o ensino universitário.

Mais de metade – 57% - está inscrita em Licenciaturas e 16% em mestrados, enquanto “o número de inscritos em Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) supera pela primeira vez os 18 mil estudantes, o que representa um crescimento de 4% face ao ano anterior e compara com os 395 inscritos em 2014/15”.

“O número de inscritos em doutoramento regista também um novo máximo, com 23544 inscritos, crescendo 8% face ao ano anterior e 22% desde 2014/15”, acrescenta.

Cerca de 60% dos inscritos escolheram áreas STEAM (Ciências, Tecnologias, Engenharia, Artes e Matemática).

 

Os comentários estão desactivados.