Economia

Carclasse aposta na sustentabilidade e eficiência

Da formação à sustentabilidade, passando pela digitalização e terminando sempre na satisfação do cliente. É este o principal ciclo de aposta da Carclasse que quer tornar-se uma empresa cada vez mais eficiente, sempre com os olhos postos no futuro.

DR  


Numa altura em que o setor automóvel enfrenta várias disrupções devido à crise pandémica, aliada à falta de materiais – como os famosos semicondutores – é importante pensar mais à frente e colar os olhos no futuro, sabendo que esse já não será igual ao passado. A pensar nisso, a Carclasse assenta a sua estratégia em duas palavras-chave: sustentabilidade e eficiência.

Considerando os colaboradores o seu principal ativo, tudo começa na formação, onde a empresa demonstra uma especial preocupação, como explica Manuela Fonseca, responsável de Recursos Humanos da Carclasse. Neste âmbito, a empresa foca-se em três grandes pilares: Liderança, capacitação técnica e desenvolvimento pessoal. E não só: existem ainda vários programas de formação e parcerias, nomeadamente com a AESE Business School, com o Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e com a Universidade do Minho. 

«Além deste pilar da formação estamos também a capacitar do ponto de vista técnico todas as nossas oficinas – não só mas essencialmente na área do após venda – através de parcerias que estamos a desenvolver com o ISEL e com a Universidade do Minho», explica Manuela Fonseca.

Assim, desde há quatro anos que existe um programa de estágio profissional ativo na organização. Os resultados, de acordo com a responsável, não podiam ser mais satisfatórios: «Este programa tem sido fundamental para alavancar a capacidade técnica dos nossos Departamentos. De facto todos os anos contratamos estagiários, alguns dos quais já assumem cargos de responsabilidade», acrescenta.

Já a importância da parceria com a Universidade do Minho prende-se essencialmente com a localização da sede da Carclasse, em Braga. Neste caso, os programas vão além da disponibilização de estágios curriculares ou profissionais e entram também na área da investigação. «São projetos Kaizen e de melhoria contínua, assentes em filosofias Lean e de Six Sigma, onde se pretende aumentar a produtividade e a eficiência sempre com o foco na melhoria da qualidade do serviço e da satisfação do cliente», detalha Hugo Padrão, responsável de Qualidade.

Ainda no que diz respeito aos recursos humanos, a empresa encontra-se neste momento a desenvolver a Academia Corporativa em formato digital. Um projeto que ganha cada vez mais importância, principalmente numa altura em a empresa conta com larga dispersão geográfica.

É de referir que a Carclasse dá emprego a 550 trabalhadores não só na sede como em outros pontos localizados: Barcelos, Famalicão, Viana do Castelo, Guimarães e Lisboa. E trabalha com marcas como Mercedes, Jaguar e Land Rover.

Para Manuela Fonseca não há dúvidas em relação à importância desta estratégia. «A dispersão geográfica da Carclasse acaba por criar alguns desafios para o Departamento de Recursos Humanos, principalmente no que respeita à formação e ao acolhimento e integração dos novos colaboradores. São desafios que tentamos superar através das ferramentas digitais». É disso exemplo a criação do Curso de Onboarding Carclasse, em formato e-learning, que fará parte da Academia Corporativa. Tudo para que os trabalhadores consigam usar esta importante ferramenta da melhor maneira e consigam tirar o melhor partido.

A importância da sustentabilidade

É por causa desta importância dada à formação que leva a Carclasse a outros patamares. Atualmente, num momento quase pós-pandémico como o que o país vive, a Carclasse continua a apostar em todas as regras de segurança para colaboradores e clientes. Mas não fica por aqui.  «O que fazemos na Carclasse é dar cumprimento aos requisitos legais que já são muitos e como temos sete estabelecimentos implica um controlo muito assíduo», garante Hugo Padrão. 

E continua: «Um cliente que visite os nossos espaços não sabe, por exemplo, que para prestarmos os serviços pretendidos produzimos grandes quantidades de resíduos perigosos, efluentes líquidos e gasosos que necessitam de tratamento, entre outros. E tudo isto obriga a um controlo operacional muito atento», garante. 

No entanto, o trabalho não fica por aqui. Falamos, por exemplo, da Certificação de um Sistema de Gestão Ambiental para o qual a Carclasse tenciona partir num futuro próximo e que obriga a que todos os anos se evidenciem melhorias do sistema, para além do cumprimento dos  requisitos legais e regulamentares.

E mesmo as marcas que a Carclasse representa – como é o caso da Mercedes Benz – já começam a controlar alguns indicadores e descritores ambientais da sua rede de concecionários, «coisas que nunca controlavam antes».

Tudo isso leva a que a empresa também já esteja a prever que a implementação de um Sistema de Gestão Ambiental contribua significativamente para melhorar o controlo e minimização do impacte das suas atividades.

Os primeiros passos já foram dados: «Já colocámos no ano passado painéis solares fotovoltaicos em todos os estabelecimentos, o que permite que cerca de 25%, 30% dos consumos das instalações já não sejam provenientes da rede mas dessa produção de energia», explica Hugo Padrão.

Da sustentabilidade para a digitalização

E numa era cada vez mais digital, a Carclasse não quer ficar atrás. «Tentamos digitalizar ao máximo todos os processos da área comercial e do após venda», diz Hugo Padrão, acrescentando que o próximo passo é eliminar o papel, o que vai de encontro da sustentabilidade que a empresa está a levar a cabo. 

«Queremos ter uma aposta muito grande na formação, no desenvolvimento tecnológico, na integração das várias plataformas e tentar arranjar aqui um equilíbrio entre todas as marcas para que se consiga eliminar o papel. E neste campo entra também a formação. É tudo um ciclo», remata.

Desporto e sustentabilidade de mãos dadas 

Na aposta da sustentabilidade, a Carclasse associou-se ainda, como patrocinadora, a grandes eventos desportivos como a Volta a Portugal ou o World Bike Tour, eventos relacionados com a sustentabilidade e com a mobilidade não poluente. Aqui, o foco não é só ambiental como também é estratégico, uma vez que, permite levar o nome da empresa onde, sem esta ajuda, talvez não conseguisse chegar.

«Faz parte da promoção da marca Carclasse porque queremos também posicionar-nos no mercado como uma empresa de mobilidade e de serviços de mobilidade», diz Manuela Fonseca. E não tem dúvidas: «Somos mais do que as marcas que representamos. Somos uma empresa de mobilidade». E remata: «São eventos verdes mas que também têm este fim estratégico de nos posicionar como marca e de nos dar a conhecer pelo país».

Cliente no início, meio e fim

No fim de tudo, quem mais conta é o cliente, sendo certo que todos estes desenvolvimentos e apostas que a empresa tem feito são sempre a pensar no consumidor, fazendo da satisfação do cliente a sua principal missão. «No futuro, em que o produto será o mesmo em todo o lado, os clientes vão escolher o concessionário pela experiência e qualidade do serviço prestado, e esse tem sido um dos nossos focos principais nos últimos tempos e vai continuar a ser cada vez mais, representando um investimento de toda a organização», finaliza o responsável de qualidade da Carclasse.