Politica

António Costa não vai estar presente na COP26

A COP26 vai começar no domingo, em Glasglow, na Escócia, e decorre até 12 de novembro. A partir do dia 8, está prevista a participação do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes. 


O primeiro-ministro, António Costa, vai falhar a Cimeira de Líderes Mundiais da Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26), anunciou o gabinete do chefe do Governo, esta sexta-feira. 

A COP26 vai começar no domingo, em Glasglow, na Escócia, e decorre até 12 de novembro. A partir do dia 8, está prevista a participação do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes. Já a cimeira de chefes de Estado e de governo decorre entre 1 e 2 de novembro.

De acordo com a agenda da cimeira, António Costa iria intervir no primeiro dia, na parte da tarde.

A cimeira vai juntar todos os representantes dos países signatários da Convenção, do Protocolo de Quioto e do Acordo de Paris em reuniões plenárias preliminares sobre as alterações climáticas. Segundo a organização, a cerimónia oficial de abertura será na segunda-feira, no Reino Unido, que organizou a cimeira juntamente com a Itália, e contará com a presença do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e "momentos criativos e culturais". 

Depois será iniciada a cimeira de chefes de Estado e de governo, que até terça-feira farão intervenções acerca dos compromissos e desejos para dar avanços com o Acordo de Paris e também na limitação do aquecimento global até ao final do século. 

Também na segunda-feira, os líderes mundias vão ter a oportunidade de ouvir cientistas a falar sobre o estado atual do ambiente e qual o cenário que se espera do mundo, se não forem cumpridos os objetivos definidos em 2015 em Paris. 

No primeiro dia, duas salas do plenário farão declarações ao mesmo tempo: uma com chefes de Estado, outra com primeiros-ministros. Serão esperadas as intervenções do Presidente norte-americano, Joe Biden, do Presidente francês, Emmanuel Macron, da chanceler alemã, Angela Merkel e ainda do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.

No seguinte dia, continuarão as declarações dos chefes de Estado e do governo e nos próximos dias estarão tematizados: Finanças na quarta-feira, Energia na quinta, Juventude na sexta.

Já no fim de semana, sábado, a COP26 irá conversar sobre o tema Natureza e Uso do Solo. Simultâneamente, está prevista uma manifestação de ativistas climáticos, convocada pelo coletivo Coligação COP26, que coloca várias dúvidas sobre o papel que esta cimeira poderá ter nas mudanças que são necessárias.

Ao longo das duas semanas da COP26, esta coligação promove a sua própria "cimeira alternativa", com debates, encontros e iniciativas de protesto.

Os dias temáticos na cimeira prosseguem na segunda semana até ao fim das negociações, cuja tradição é estenderem-se pelo fim de semana, para lá de sexta-feira, dia agendado para apresentação das conclusões.