Sociedade

Fenprof quer regresso da máscara nas escolas e docentes no grupo prioritário para vacinação

Há professores com várias turmas que não estão a ser testados, “com a justificação de estarem vacinados”, diz a organização.


Na véspera da reunião do governo em que serão decididas novas ações para conter a disseminação da pandemia de covid-19, a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) apela para que as medidas "não esqueçam as escolas nem os seus profissionais".

A organização pede o regresso do uso de máscara em todos os espaços da escola e que o governo volte a considerar os docentes "como grupo prioritário no processo de vacinação”, já que lidam diariamente com centenas de crianças e jovens, que são os que apresentam atualmente níveis de transmissibilidade do vírus mais elevados.

A Fenprof aponta ainda, em comunicado, como medida que quer ver aprovada no Conselho de Ministros o “reforço das condições de segurança sanitária nas escolas, designadamente a utilização de máscara em todos os espaços, a medição da temperatura corporal e a garantia de distanciamento físico nas salas de aula”. Segundo a Fenprof, há professores com várias turmas que não estão a ser testados, “com a justificação de estarem vacinados”.