Politica

PSD. Conheça os novos inquilinos da São Caetano à Lapa

Rio optou por ir à sociedade civil buscar caras novas para a sua direção, pondo o aparelho em segundo plano. Procurou, também, renovar gerações.


Ana Paula Martins - Lisboa

Ana Paula Martins é uma dos dois novos vice-presidentes do PSD. Ana Paula é bastonária da Ordem dos Farmacêuticos desde 2016 e professora universitária da faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa há 20 anos, tendo trabalhado durante mais de uma década no setor da indústria farmacêutica. Pertence, ainda, ao Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida. Há menos de um mês, a lisboeta encabeçou uma carta enviada pela Ordem dos Farmacêuticos à ministra da Saúde que pedia a contratação de mais profissionais, assim como o reconhecimento da sua especialidade. É a grande aposta de Rio na sociedade civil em detrimento do aparelho.

João Pais de Moura - Cantanhede

João Pais de Moura é, a par de Ana Paula, novo vice-presidente do PSD. Apesar de ter carreira política, Pais de Moura é prestigiado na academia. Foi presidente da Câmara de Cantanhede durante três mandatos, tendo, de seguida, assumido a liderança da Assembleia Municipal do mesmo município. Professor universitário, é licenciado em Ciências Farmacêuticas pela Universidade de Coimbra – cidade onde preside à Fundação para os Estudos e Formação nas autarquias locais. Foi docente da UM durante 20 anos, tendo sido também essa a instituição onde conclui o seu doutoramento em Ciências. Foi, ainda, investigador do departamento de “Colour Chemistry”, da Universidade de Leeds, no Reino Unido.

Filipa Roseta - Lisboa

Filipa Roseta é a cara mais conhecida nas entradas na São Caetano à Lapa. Roseta tornou-se recentemente vereadora de Carlos Moedas, despedindo-se do Parlamento e assumindo a pasta da habitação e do desenvolvimento local em Lisboa. Terá sido precisamente pela importância que Rio quer dar à habitação que Roseta deu entrada na sua Comissão Política Nacional como vogal – é, portanto, a grande aposta de Rio para esta área. É filha do antigo ministro da Cultura, Pedro Roseta, e da antiga deputada do PS e vereadora da (também) habitação em Lisboa, Helena Roseta. Enquanto deputada do PSD no Parlamento, Filipa acompanhava as áreas da habitação e de gestão do património público.

António M. Lopes - Beja

António Marciano Lopes não é só a aposta de Rio em Beja: corporiza, sobretudo, o sinal de interesse no Alentejo que Rio quer mostrar, uma vez que esta região é muito importante para si. Rio procura passar uma mensagem de foco no Alentejo e, por isso, traz António Lopes para o seu núcleo duro. O bejense chegou a ser candidato a presidente da Comissão Política Distrital de Beja, vindo, contudo, a perder para o rangelista Gonçalo Valente. Rui havia já demonstrado particular interesse no Alentejo quando escolheu João Pedro Luís, de apenas 19 anos, para cabeça de lista em Portalegre. António Lopes foi professor adjunto de Ciências Empresariais no Politécnico de Beja, em 2018.

José Miguel Ramos - Miranda do Corvo

José Miguel Ramos estar na CPN é a prova de que Rio procura unidade, uma vez que o jovem de Miranda do Corvo apoiou Rangel nas diretas (antes das últimas era apoiante de Rio). Além disso, o facto de ter 33 anos foi, também, um fator preponderante para dar entrada no núcleo duro da São Caetano à Lapa: Ramos, advogado, foi escolhido por Rio para ser, junto dele, uma voz da juventude. Conhecido na Juventude Social Democrata (JSD) pela sua boa capacidade oratória, o ex-líder da distrital da JSD Coimbra é filho de Fátima Ramos – antiga presidente da Câmara de Miranda do Corvo e número dois nas listas por Coimbra. Atualmente, é responsável pelo Conimbriga Hotel do Paço.

Isabel Cruz - Trofa

Antes de ascender à CPN, Isabel Cruz era vice-presidente da Mesa do Congresso do PSD. É, desde 2013, presidente da Assembleia Municipal da Trofa: trata-se, assim, de mais uma pessoa do norte a juntar-se às já existentes do núcleo duro de Rio. Desde 2015 que é diretora do Centro de Emprego de Santo Tirso. Foi, contudo, na área da educação que mais se destacou, tendo sido diretora adjunta da Direção Regional de Educação do Norte entre setembro de 2011 e dezembro de 2012 (viria a ascender a diretora até janeiro de 2013) e subdiretora geral dos Estabelecimentos escolares na DGESTE entre janeiro de 2013 e outubro de 2014. É licenciada em história pela FLUP.

Pedro Coelho - Câmara de Lobos

Pedro Coelho será o representante da Madeira na CPN de Rio, uma vez que deve neste órgão existir um representante das comissões políticas regionais do Açores e da Madeira. De momento a fazer o seu terceiro mandato como presidente da Câmara Municipal de Lobos, Pedro Coelho foi o mandatário de Rio nas últimas eleições contra Paulo Rangel. Ademais, foi na semana passado eleito vice-presidente da Mesa do Congresso da Associação Nacional de Municípios Portugueses, cuja mesa é presidida pelo seu camarada Carlos Moedas. Natural de Câmara de Lobos, é licenciado em Economia pelo Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa.

Os comentários estão desactivados.