Internacional

Após diagnóstico de cancro terminal, homem sufoca mulher até à morte para não a ver sofrer

David, de 74 anos, e Janice, de 75, estavam casados há 52 anos. Homem diz que não queria ver a mulher sofrer depois de esta pedir uma morte tranquila.

 


David Hunter, um homem britânico de 74 anos, a viver em Chipre, sufocou a mulher, Janice, de 75, até à morte com uma almofada. Às autoridades, explicou que “não queria ver a mulher sofrer” com uma leucemia incurável.

O crime ocorreu na sua casa em Tremithousa, uma vila perto de Paphos. A imprensa local avança que a mulher estava sentada numa poltrona quando o marido a sufocou. Após o crime, o suspeito tentou suicidar-se, mas acabou por ser detido no hospital.

O Cyprus Mail escreve ainda que a mulher terá pedido uma “morte tranquila” ao marido quando foi diagnosticada com o cancro terminal.

As autoridades cipriotas foram alertadas pelas 20h [22h em Lisboa] do passado sábado pela Interpol, após o homem ter enviado uma mensagem à família a confessar o que havia feito.

Marina Christodoulides, porta-voz da polícia, afirmou que decorre uma investigação para determinar se a morte foi ou não premeditada. “Por isso, o cidadão britânico de 74 anos irá permanecer no hospital de Paphos durante os próximos sete dias”, disse ainda, explicando que, apesar de não poder comentar o “bem-estar psicológico”, David se encontra “muito melhor” fisicamente.

David e Janice apaixonaram-se quando estavam de férias em Chipre e decidiram mudar-se para a ilha do Mediterrâneo em 1994, quando a mina onde o homem trabalhava fechou.

Os comentários estão desactivados.