Politica

PCP questiona Governo sobre mortalidade maternal

Bloco de Esquerda quer ouvir Graça Freitas sobre os óbitos.


O grupo parlamentar do PCP questionou a ministra da Saúde sobre as razões do aumento da mortalidade materna e as medidas que o Governo propõe para contrariar esta tendência.

De acordo com uma pergunta endereçada a Marta Temido, através da Assembleia da República, a bancada comunista pretende saber “que razões podem justificar a preocupante tendência de crescimento da mortalidade materna” no país e “que medidas vai o Governo tomar para que se inverta esta tendência crescente”.

O PCP também procura saber os “contextos clínicos e assistenciais que levam à ocorrência desses óbitos”, a percentagem de mortalidade materna nos hospitais públicos e privados, e em contexto domiciliário, e se houve mais mortes em partos naturais ou cesarianas.

Também o Bloco de Esquerda requereu uma audição com caráter de urgência com Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, e o presidente da Associação Europeia de Medicina Perinatal, Diogo Ayres-de-Campos, para prestarem esclarecimentos sobre o aumento da mortalidade materna no país. Para o BE as “causas não podem ser escondidas e a discussão não pode ser adiada”.

Os comentários estão desactivados.