Carta de Wall Street

Barco à deriva

Uma ferramenta útil é a análise SWOT: que identifica as forças e fraquezas da empresa face a alternativas existentes assim como as oportunidades e ameaças que surgem nas suas operações

Barco à deriva

Nova Iorque, maio de 2022

«Um dia, Alice chegou a uma bifurcação e viu um gato numa árvore
Que caminho sigo? – perguntou
Onde queres ir? – respondeu o gato
Não sei – respondeu a Alice
Então – disse o gato – qualquer caminho serve».

Lewis Carrol, Alice no País das Maravilhas

«Não interessa se o gato é preto ou branco, interessa que cace ratos».

Deng Xiaoping, Líder da República Popular da China, 1978-1989

Queridas Filhas,

No meio de fustigantes tempestades é reconfortante ver o capitão do barco confiante que a bonança é o destino final. Ao fim de duas décadas de ventos fracos e com o barco a não fazer progresso, é inspirador saber que o novo capitão sabe como levar a tribulação até ao destino que anseiam e que cumpre os seus sonhos.

Quando me pergunto qual o sonho de Portugal, os meus pensamentos entram num silêncio longo e desconfortável…

Todos sabemos do American Dream. O Xi Jinping fala frequentemente do sonho chinês de rejuvenescimento e recuperação da liderança da nação chinesa. Mas qual o sonho de Portugal? Quando olhamos para os nossos capitães que nos dizem eles? Qual o Portugal de sonho de Marcelo Rebelo de Sousa? Qual o Portugal com que sonha António Costa, quando deixar o leme que ocupa há já vários anos? Não sei dizer. Não consigo imaginar. Não tenho uma imagem em mente.

Sei que, como qualquer político, anseiam ter o seu lugar na História de Portugal. Sei que a prioridade é ganhar as próximas eleições custe o que custar. Mas ter o seu nome numa longa lista de Presidentes e primeiro-ministros é uma honra suficiente? Quantos imperadores romanos existiram que nunca ouvimos falar e que foram já esquecidos? O mesmo pode ser dito de Papas ou Reis de outros países… Entretanto figuras como o Infante D. Henrique, Vasco da Gama e Bartolomeu Dias são conhecidos pelo mundo fora… Estar numa lista de poder sem ter um legado histórico é suficiente? É algo desejável? Ou uma oportunidade perdida? Como se me dessem um Fórmula 1 para guiar e depois vissem os meus tempos. Que desperdício de recursos e de oportunidade…

Pode até acontecer que a nossa classe política ache que não há nada a fazer. Que a atual situação é o mais que podemos ousar. Que a política é importante para ter acesso a empregos bem pagos para o nosso partido e para os nossos amigos. Nada de surpreender quando mais de metade das famílias portuguesas têm pelo menos um membro a receber dinheiros públicos, seja por emprego (incluindo empresas públicas – TAP anyone?) ou por reforma e abono. 

Mas se esse é o caso, o dever para com os portugueses que se sacrificaram pelo que temos hoje, quer vivos quer mortos, é aposentarem-se e darem o lugar a quem tem visão, ânsia e capacidade para fazer mais e melhor por Portugal. A propósito dos descobrimentos disse-nos Fernando Pessoa: «Valeu a pena? Tudo vale a pena se a alma não é pequena». Alma pequena, são pessoas que se focam no umbigo, no lugar que ocupam, nas venerações que recebem. Chama-se um espírito pusilânime. O oposto, é o espírito Magnânimo. Uma alma grande. Focada no serviço e bem comum. Resiliente e indiferente a confortos e honras pessoais. 

Prometi que não vou usar estas cartas para apenas apontar oportunidades de melhoria. Precisamos de oferecer alternativas. Para o país isto é um trabalho de equipa. Por isso peço-vos que me enviem as vossas sugestões para pedro.jacome.ramos@gmail.com

No mundo de negócios, quando as empresas desenvolvem a sua visão e estratégia, começam por analisar o ambiente em que operam. Uma ferramenta útil é a análise SWOT: que identifica as forças e fraquezas da empresa face a alternativas existentes assim como as oportunidades e ameaças que surgem nas suas operações. Esta análise ajuda a clarificar alternativas com potencial.

Nesse sentido, comecei o mesmo exercício para o Portugal. Esta figura naturalmente tem que ser completada e atualizada. Espero que me ajudem nisso. Enviem as vossas sugestões e em alguns meses envio a versão atualizada.

Entretanto este exercício pode começar a despoletar em todos ideias e ambições para que os próximos 20 anos sejam melhores que os últimos.

Os comentários estão desactivados.