Politica

Sousa Real critica Ricardo Araújo Pereira e José Diogo Quintela: "Identidade de género e sexo biológico não são a mesma coisa"

Em causa estão artigos dos dois humoristas e que para a líder do PAN só reforçam "a falta que as aulas de cidadania fazem".


Inês Sousa Real, líder do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), criticou, esta quarta-feira, os artigos publicados por Ricardo Araújo Pereira e por José Diogo Quintela sobre a comunidade LGBTI+, afirmando que ambos os textos "só vêm reforçar a falta que as aulas de cidadania fazem".

Através do Twitter, a deputada única do PAN escreveu que "a identidade de género e sexo biológico não são a mesma coisa" e a "orientação sexual também não", acrescentando que "o respeito por qualquer pessoa e pela sua identidade deveria ser incondicional". 

Ambos os artigos têm estado debaixo de fogo nas redes sociais, com a comunidade LGBTI+ a tecer duras críticas aos dois cronistas e aos orgãos de comunicação que permitiram a sua publicação. 

A crónica de Ricardo Araújo Pereira, tem como título: "A atração sexual que não ousa dizer o seu nome", e que tem como entrada: "Se o que interessa é o género, e não o sexo, talvez o termo apropriado não seja 'homossexual' e sim 'homogeneral'. 

No que diz respeito ao texto de José Diogo Quintela, o título diz: "Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se trans", em que o autor escreve na entrada: "Ora, sucede que uma mulher trans não é uma mulher. Da mesma forma que leite de soja não é leite, por mais branco e fresquinho que seja". 

 

Os comentários estão desactivados.