Politica

Carreiras afasta saída da Câmara para já

O autarca cascalense nega ter transmitido ao partido que renunciará ao mandato em breve. Mas admite sair a médio prazo.


Carlos Carreiras não tenciona abandonar para já a presidência da Câmara Municipal de Cascais. Em declarações ao Nascer do SOL, o autarca esclarece que poderá vir a renunciar ao mandato de quatro anos para o qual foi eleito nas autárquicas de setembro do ano passado para voltar à sua atividade profissional, mas não será para breve, contrariamente à informação avançada ontem pelo jornal Cascais 24 Horas.

Segundo aquela publicação, Carlos Carreiras terá manifestado no plenário da concelhia do PSD de Cascais, que reuniu na noite da passada quarta-feira, a intenção de abandonar o cargo a «muito curto prazo».

«A notícia é exagerada e é mais um desejo de candidaturas de oposição do que propriamente algo factual daquilo que eu tenha transmitido aos militantes», classifica o autarca, argumentando que no plenário  apenas «alertou» que o seu mandato é só de três anos, entendendo que o partido se «devia começar a preparar», uma vez que não pode voltar a candidatar-se à Câmara.

«As próximas autárquicas vão ter muitos presidentes de Câmara que chegam ao fim do ciclo dos três mandatos. Portanto, a minha realidade não vai ser muito diferente do que será feito em muitos outros concelhos. No meu caso acresce a questão de que eu preciso de voltar à minha profissão», explica ao Nascer do SOL.

No início de julho, em entrevista a este jornal, Carlos Carreiras já tinha antecipado que quando se libertar da Câmara será «por razões económicas», pois em 2025, o último ano que poderá cumprir em Cascais, terá 64 anos e terá de garantir rendimentos até à idade da reforma.

«Se surgir alguma oportunidade, aí terei que ponderar se prolongo mais ou menos o mandato, mas isso depende das circunstâncias. Nunca seria para renunciar agora, a minha intenção foi preparar os próximos tempos não condicionando da forma como eu fui condicionado pelo meu antecessor», garante. 

Quanto à sua sucessão diz que não é «apologista de sucessores nomeados». «Mas tenho a certeza que o Miguel Pinto Luz é claramente dentro do PSD o mais preparado, o mais competente e o mais conhecedor da própria realidade do concelho. E do que eu conheço da oposição não há ninguém que esteja melhor preparado que ele para ser candidato nas próximas eleições», afirma.

Os comentários estão desactivados.