Politica

Rússia acusa Portugal de violar contrato depois de enviar helicópteros russo para Ucrânia

Recorde-se que Portugal anunciou, em outubro, o envio para a Ucrânia de seis helicópteros, que estavam sem licença para operar no país, por serem de origem russa, sendo um dos quais estava inoperacional.


A Rússia criticou, esta quinta-feira, Portugal por ter enviado seis helicópteros de combate a incêndios para a Ucrânia, de origem russa, considerando uma “violação das duas obrigações contratuais”.

Para a diplomacia russa, o envio dos seis helicópteros Kamov de combate a incêndios para a Ucrânia, como apoio à luta contra a invasão russa, é uma "violação das obrigações contratuais" por parte de Lisboa, aludindo ao facto das aeronaves serem de fabrico russo.

"Pedimos aos nossos colegas (portugueses) de se inibirem de dar passos que possam desacreditar Portugal como um parceiro fiável", escreveu a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, na rede social Twitter.

Recorde-se que Portugal anunciou, em outubro, o envio para a Ucrânia de seis helicópteros, que estavam sem licença para operar no país, por serem de origem russa, sendo um dos quais estava inoperacional.

"A pedido da Ucrânia e em articulação com o Ministério da Administração Interna vamos disponibilizar à Ucrânia a nossa frota de helicópteros Kamov que, em virtude do cenário atual, das sanções impostas à Rússia, deixámos de poder operar, aliás não têm os seus certificados de aeronavegabilidade e nem sequer poderemos repará-los", afirmou na altura a ministra a Defesa de Portugal, Helena Carreiras.

Segundo a governante, os helicópteros seriam transferidos no estado em que se encontravam, necessitando de reparação, porém, serão "muitíssimo úteis à Ucrânia". Kiev agradeceu o gesto do Governo português, avançou a ministra.

Os comentários estão desactivados.