Politica

Tiro de partida para as eleições na Iniciativa Liberal já foi dado

A juntar a Rui Rocha e Carla Castro, há mais um candidato à sucessão de Cotrim Figueiredo: José Cardoso.


Já começou a contagem decrescente para se saber quem será o novo líder do Iniciativa Liberal. As eleições do partido estão marcadas para dia 21 e 22 de janeiro e, a par das candidaturas de Carla Castro e Rui Rocha, há que contar com mais um candidato: o da lista A, encabeçada por José Cardoso. Este conselheiro nacional do partido justificou a sua decisão por ter uma «visão alternativa à vigente e àquelas que se têm vindo a apresentar como candidatas à comissão executiva», defendendo que é fundamental a existência de uma segunda volta nas eleições, caso nenhuma candidatura alcance mais de 50% na primeira votação. Nesta segunda ronda participariam apenas as duas listas mais votadas e meia hora depois de conhecidos os resultados da primeira volta. «Só assim é possível obter uma liderança forte. Queremos um líder eleito com a maioria absoluta dos votos de forma que esta seja uma liderança incontestada interna e externamente», defendeu.

Também na corrida está Rui Rocha que conta com o apoio do atual líder do partido, Cotrim de Figueiredo, que na moção estratégica apresentada diz acreditar que as eleições antecipadas podem ser uma realidade e que o partido tem de estar preparado, deixando algumas linhas estratégicas: «Somos liberais em toda a linha, rejeitamos populismos, afastamo-nos dos extremos e recusamos a instrumentalização do medo e da frustração para obter ganhos políticos».

Já Carla Castro afirma-se a pessoa certa para levar o partido a ser a terceira força política em Portugal, traçando, no entanto, linhas vermelhas – «que são com quem não queremos estar» – e  azuis – «que são as circunstâncias com que poderemos estar». E defende que «mais importante do que falar em coligações é ganhar os votos de todos os eleitores».  

Os comentários estão desactivados.