Sociedade

Homem detido por escravidão sujeito a apresentações trisemanais às autoridades

Suspeito tinha sido detido esta quarta-feira


Um homem de 30 anos que foi detido na quarta-feira por suspeitas de sequestrar, furtar e escravizar um pastor em Albufeira ficou sujeito a apresentar-se três vezes por semana às autoridades.

De acordo com uma fonte policial à agência Lusa, depois de ter sido ouvido no primeiro interrogatório judicial, na quinta-feira, o tribunal decretou ao suspeito a medida de coação de obrigação de apresentações trissemanais às autoridades até ao julgamento.

Na quinta-feira, a Polícia Judiciária (PJ) tinha anunciado a detenção de um homem por suspeitas dos crimes de sequestro, furto, ofensas à integridade física e escravidão, cometidos contra outra pessoa que foi sujeita a "exploração laboral", em outubro passado, numa zona rural do concelho de Albufeira.

O suspeito foi detido em Lisboa, depois de se ter ausentado, em outubro do ano passado, da sua área de residência, "quando começou a ser procurado como alegado autor dos crimes". 

A vítima, de 46 anos, "era alvo de exploração laboral numa atividade de pastoreio e guarda de um espaço circunscrito, sem quaisquer condições de habitação higiene e alimentação, encontrando-se numa condição de escravo e sujeito a agressões físicas frequentes", explicou a PJ na mesma nota.

A investigação teve início depois de "a vítima ter necessitado de assistência hospitalar" e a informação sobre os alegados crimes "ter chegado ao conhecimento dos investigadores", que apuraram ter sido o patrão a pessoa na origem do tratamento desumano.

 

Os comentários estão desactivados.