Politica

Offshores: Esquerda quer investigar fuga de milhões

10 mil milhões voaram para offshores durante a troika.


O PCP foi o primeiro a apresentar um requerimento para ouvir Paulo Núncio e Rocha Andrade sobre os 10 mil milhões de euros que saíram do país para offshores sem controlo durante o anterior governo. Mas, agora, PS e BE pedem também para ouvir o secretário de Estado de Centeno.

“No final de 2015, após a tomada de posse do atual governo, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, ao retomar o trabalho de divulgação das transferências, deteta que os bancos entre 2011 e 2014 mantiveram o seu trabalho de reporte das transferências ocorridas para offshores, mas que o mesmo não foi alvo de qualquer escrutínio por parte da Autoridade Tributária e Aduaneira”, começam por escrever os deputados do PS no requerimento, que assaca responsabilidades a Maria Luís Albuquerque e à sua equipa, mas também a Vítor Gaspar.

“Durante os mandatos dos ex--ministros das Finanças Vítor Gaspar e Maria Luís Albuquerque e do ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, ficaram por tratar cerca de 20 declarações de instituições financeiras que representam mais de 9800 milhões de euros”, afirma o PS, lembrando que o Ministério das Finanças já pediu à IGF a abertura de um inquérito.

“Tendo detetado as referidas omissões, o Ministério das Finanças solicitou à Inspeção-Geral de Finanças que apure o que realmente aconteceu”, dizem os socialistas, que querem ouvir Rocha Andrade na comissão de Orçamento e Finanças.

Recorde-se que o ‘Público’ revelou ontem que entre 2011 e 2014 saíram do país mais 10 mil milhões de euros do que tinha sido inicialmente apurado, num total de 17 mil milhões que escaparam a qualquer controlo da Autoridade Tributária.