Politica

Eleita Comissão Política de Rio com resultado mais baixo desde 2007

O congresso do PSD já elegeu os novos órgãos nacionais. A lista proposta por Rui Rio, o presidente social-democrata, para o conselho nacional foi a mais votada com 246 votos. Porém, para o conselho de juridisção, o nome proposto pelo líder perdeu. Ganhou Paulo Colaço, que se demitiu há um ano em rota de colisão com Paulo Mota Pinto.

 

 

Os delegados ao 38º congresso do PSD já elegeram os novos órgãos do partido e a lista proposta pelo líder social-democrara, Rui Rio, ao conselho nacional foi a mais votada, com 246 votos. A lista é encabeçada por Paulo Rangel. Na prática, o eurodeputado garantiu 21 lugares para o órgão máximo entre congressos.

Por seu turno, a lista, liderada pelo autarca Paulo Cunha, e conotada com os apoiantes de Luís Montenegro obteve 190 votos, ou seja, 16 mandatos. Já a equipa de Bruno Vitorino, que reúne apoiantes de Miguel Pinto Luz ( derrotado nas diretas por Rio e Montenegro), alcançou 102 votos, tantos quantos a lista de Carlos Eduardo Reis, assumido apoiante de Rui Rio.

Para o conselho de jurisdição, o ex-líder parlamentar, Fernando Negrão, perdeu para a equipa de Paulo Colaço, que há dez anos concorre ao tribunal do partido. Paulo Colaço é, assim, o novo presidente do conselho nacional de jurisdição, tendo protagonizado há um ano um episódio polémico. No rescaldo do conselho nacional de janeiro de 2019, em que Rio saiu reforçado na liderança, Colaço apresentou a sua demissão em protesto pela forma como Paulo Mota Pinto, (da mesa do conselho nacional) conduziu aquela reunião do conselho nacional. Em causa esteve a forma como Mota Pinto lidou com o conselho de jurisdição nacional.

Agora, Paulo Colaço consegue a maioria dos votos e bate lista liderada por Fernando Negrão.