Sociedade

André Ventura avança para a Justiça depois de ser novamente bloqueado no Twitter

A conta do deputado continua visível e o mesmo pode trocar mensagens diretas com os seus seguidores. No entanto, está impedido de fazer publicações e colocar ‘gostos’, medida que vigorará durante uma semana. "É demais. Isto não acontece a nenhum outro líder político em Portugal”, disse André Ventura ao Nascer do SOL.


O líder do Chega, André Ventura, vai recorrer à Justiça depois de, no domingo, ter sido novamente bloqueado no Twitter. Segundo revelou o próprio ao Nascer do SOL, esta é “para aí a sexta vez” que é “bloqueado sem motivo”.

A conta do deputado continua visível e o mesmo pode trocar mensagens diretas com os seus seguidores. No entanto, está impedido de fazer publicações e colocar ‘gostos’, medida que vigorará durante uma semana.

“Desta vez vou colocar o Twitter em tribunal. É para aí a sexta vez que sou bloqueado sem motivo. É demais. Isto não acontece a nenhum outro líder político em Portugal”, disse ao Nascer do SOL.

De sublinhar que a conta de André Ventura chegou a ficar suspensa no passado dia 28 de setembro, mas foi reativada no mesmo dia. Uma publicação, onde o deputado dizia que a população cigana representa 15% a 20% dos prisioneiros em Portugal, foi apagada por violar as regras da rede social.

Já em maio, “algumas funcionalidades” da conta de André Ventura foram suspensas, após o líder do partido Chega ter escrito: “Se é assim que vive a III República, eu também acho que Eduardo Cabrita devia ser decapitado!”.

A publicação foi feita após o ministro da Administração Interna ter suspendido a execução da pena aplicada ao agente da PSP Manuel Morais que chamou “aberração” a Ventura e escreveu: “Decapitem estes racistas nauseabundos que não merecem a água que bebem”, no Facebook.

Em agosto, o deputado teve também bloqueado durante 24 horas por escrever “que alguns dos incendiários, em vez de serem tratados como coitadinhos, deviam ser atirados às chamas”.