Politica

Assessor do gabinete de Costa pede demissão após condenação em processo judicial

Magalhães Ribeiro, depois de uma queixa para a Comissão Nacional de Eleições (CNE), foi julgado e condenado na segunda-feira.


Pedro Miguel Magalhães Ribeiro, assessor do gabinete do primeiro-ministro, pediu a demissão na terça-feira por ter sido condenado em processo judicial por violação dos deveres de neutralidade e imparcialidade. 

O ex-assessor de António Costa fez uma publicação no Boletim Municipal, durante as últimas eleições autárquicas, que acabou por perder.  

Magalhães Ribeiro, depois de uma queixa para a Comissão Nacional de Eleições (CNE), foi julgado e condenado na segunda-feira. 

O responsável confessou, em declarações à TVI/CNN Portugal, estar “totalmente surpreendido” e que em nenhum momento pensou estar a contornar a lei. 

"Estive oito anos como presidente da Câmara, isto resume-se a um dia em que tive uma reunião com a [na altura] ministra da Saúde, Marta Temido, sobre o Centro de Saúde do Cartaxo. Após a reunião, solicitei ao gabinete de informação que fizesse uma nota. Estávamos em plena época eleitoral - dia 16 de agosto - porque a senhora ministra a adiou [a reunião] desde maio por causa da pandemia. A nota informativa foi enviada à comunicação social e publicitada nas redes sociais da Câmara", explicou. 

Os comentários estão desactivados.