Livros


  • Silvina Ocampo. Estórias para crianças perdidas

    Os anos trinta foram anos exaltados para a literatura argentina. No centro do turbilhão a revista “Sur” de Victória Ocampo marcava o ritmo da tempestade. Excêntrica de um modo que todos achavam difícil de adjectivar, a sua irmã mais nova, Silvina Ocampo, atravessou esse centro sem se deixar capturar.

    Silvina Ocampo. Estórias para crianças perdidas

  • H.G. Cancela. Investigações sobre o fim

    O autor regressa ao romance, com uma narrativa que segue a errância de um homem que desperta num hospital, gravemente ferido, e que tenta regressar a casa. De tão mastigado, o universo de Cancela apresenta os sinais da desaparição, a emergência do vazio, desenhando uma zona-limite, à beira do fim.

    H.G. Cancela. Investigações sobre o fim

  • Charlotte Beradt. O sonho que se cumpre entoando a morte

    Após a chegada de Hitler ao poder, em 1933, Beradt era então uma jovem de vinte e poucos anos quando decidiu iniciar uma invulgar recolha de testemunhos, mapeando mais de trezentos sonhos que lhe foram ditados por cidadãos alemães, expondo os efeitos subterrâneos da difusão da ideologia e do terror nazis.

    Charlotte Beradt. O sonho que se cumpre entoando a morte

  • Martinet, um náufrago sem lugar

    “A grande vida” de Jean-Pierre Martinet é um pequeno livro que a editora Cutelo atirou, como um petardo de riso e trevas, para as estantes das livrarias. Uma novela escrita numa linguagem fervorosa sobre um mundo coberto de borralho como uma fogueira apagada

    Martinet, um náufrago sem lugar

  • Economia. Muitas histórias para contar

    De 2009 a 2023, o mundo enfrentou uma série de desafios económicos, temas que Paulo Monteiro Rosa analisou à lupa em artigos de opinião e que agora compilou em livro. À LUZ, o economista diz que «perceber a História ajuda a mitigar dificuldades económicas e financeiras que vão aparecendo» e confessa que os desafios que…

    Economia. Muitas histórias para contar

  • Fenómenos literários internacionais

    Dentro dos novos autores de bestsellers em Portugal quem parece estar a dominar o mercado das vendas são mulheres. Desde o romance ao thriller, destacam-se Colleen Hoover, Freida McFadden e Leslie Wolfe, – as escritoras americanas são verdadeiros fenómenos literários internacionais.

    Fenómenos literários internacionais

  • Carlos Maria Bobone. ‘Querer ler de forma virginal Os Lusíadas é entregar-se ao fracasso’

    Alfarrabista e crítico literário, em vez de outra fanfarronada de quem se propõe vir agora exumar a lenda, Bobone disseca as especulações e faz um ponto de ordem depois de 400 anos em que Camões foi sobretudo um espelho dos seus intérpretes.

    Carlos Maria Bobone. ‘Querer ler de forma virginal Os Lusíadas é entregar-se ao fracasso’

  • Nós matámos o cão tinhoso: o modo mais cru de herdar a fala

    Luís Bernardo Honwana escreveu este livro de contos em 1964, quando tinha apenas 22 anos, e Moçambique estava ainda submetida à administração portuguesa, sendo patente uma estratégia de expressão anticolonialista, servindo-se da língua do invasor para denunciar a invasão.

    Nós matámos o cão tinhoso: o modo mais cru de herdar a fala

  • Feira do Livro. ‘Ler é poder viver várias vidas na única que tenho’

    Uns trazem uma lista, outros preferem vir à descoberta. Mafalda acredita que pode viver mil vidas através de um romance; João leva um saco cheio e ainda não terminou a sua volta; Maria partilha o que lê no Tik To e só este ano já leu 73 títulos. Adolescentes ou adultos, partilham a paixão pelos…

    Feira do Livro. ‘Ler é poder viver várias vidas na única que tenho’



  • Camões. ‘Sonora ciência de tempestade e búzio e bruma’

    Os 500 anos deste poeta cujo canto se viu atado à pátria e submergido exigiriam uma atualização, atendendo ao seu efeito de rutura e denúncia, àquela ciência sonora aprendida com o mar e a sua infindável viagem, que continua a incitar-nos a largar amarras para só regressarmos inspirados de um verdadeiro ímpeto de vingança.

    Camões. ‘Sonora ciência de tempestade e búzio e bruma’

  • Roer o fruto da História até ao seu paradoxal caroço

    Nascido em Moscovo, Wladimir Kaminer escapou à paranoia soviética, mas trouxe o seu sentido de escala e a ironia das gerações desgastadas pelos grandes mitos trágicos, e daí que a derrocada do Ocidente não deixe de lhe saber a um pequeno-almoço abundante com vista sobre o tal apocalipse

    Roer o fruto da História até ao seu paradoxal caroço

  • Literatura de Centro Comercial

    Uma forma mais penetrante de observar sintomas da coisa literária em autores sujeitos ao engodo publicitário é ignorar os romances e olhar para outro tipo de textos, mais pequenos, onde as intenções estão mais à flor da pele.

    Literatura de Centro Comercial

  • Morreu o escritor norte-americano Paul Auster

    Auster morreu em casa, em Nova Iorque, vítima de cancro do pulmão, de acordo com a imprensa norte-americana.

    Morreu o escritor norte-americano Paul Auster

  • Carlos de Matos Gomes. ‘O 25 de Abril é um ato também de disciplina’

    Fez o curso de Comandos e aos 20 anos já liderava um grupo de combate. Fez três comissões – Moçambique, Angola, Guiné – e integrou o movimento dos capitães. Nesta primeira parte da conversa, que continua na próxima edição, recorda a sua experiência em África e as circunstâncias que levaram à revolução.

    Carlos de Matos Gomes. ‘O 25 de Abril é um ato também de disciplina’

  • 25 de Abril e o complexo da sua profanação

    A partir dos instrumentos de análise de Jean Baudrillard, que apontou para uma tentação de submeter o século XX a um processo de revisionismo e desinformação imparável, procuramos compreender como as comemorações dos 50 anos da revolução dos cravos procuram esvaziá-la de sentido, e como apenas exprimem uma forma de arrependimento.

    25 de Abril e o complexo da sua profanação

  • Thomas Bernhard. Um leitor carnívoro

    “Toda a minha vida não fiz outra coisa senão arranjar problemas”, escreveu certa vez o mais blasfemo dos autores austríacos. “Não sou o tipo de pessoa que deixa os outros em paz”. Esta nota deve vir à cabeça para que ninguém vá ao engano ao abrir alguma das páginas desse escândalo contínuo que foi a…

    Thomas Bernhard. Um leitor carnívoro

  • Vania Baldi. A indústria da inconsciência

    Em Otimizados e Desencontrados, este autor italiano explora o quadro de devastação íntima e cultural que a propagação do digital e os hábitos da relação com o ecossistema tecnológico e mediático têm provocado, ao ponto de transformarem a própria natureza humana.

    Vania Baldi. A indústria da inconsciência