Politica

Buscas PSD. Quaisquer factos "são anteriores à entrada da atual direção", diz José Silvano

Investigadores estão na sede nacional dos sociais-democratas a vasculhar faturas e fichas de militantes.

O secretário-geral do PSD, José Silvano, afirmou esta quarta-feira que as buscas da operação "Tutti Frutti" da PJ estenderam-se à sede nacional do partido. Os investigadores pediram acesso às contas que estão depositadas na Rua São Caetano à Lapa. O drigente nacional social-democrata começou por dizer que quaisquer factos - alvos da investigação- "são anteriores à entrada da atual direção". 

José Silvano assumiu que o PSD defendeu que o combate à corrupção e ao compadrio fazem parte do caderno de encargos da liderança de Rui Rio. E garantiu "Os portugueses têm o direito de saber a verdade"

Depois reconheceu que a investigação pode ter impacto na imagem do PSD e da atual direção: "Muitas vezes paga o justo pelo pecador".

Questionado sobre a atitude a tomar em relação a um dos conselheiros do PSD- Carlos Reis- envolvidos no processo, Silvano usou a regra imposta por Rui Rio. Do ponto de vista político só se atua depois do "trânsito em julgado da sentença". A mesma resposta foi dada pelo presidente social-democrata esta semana por causa da constituição de Luís Montenegro, Hugo Soares e Campos Ferreira no caso da polémica sobre as viagens ao Euro 2016.

A operação de buscas envolve a PJ, estará a ser coordenada pelo DCIAP de Lisboa, segundo a revista Sábado, e envolve mais de 70 buscas. A concelhia do PS também já recebeu os inspetores da PJ, além de duas juntas de Freguesia. O processo estendeu-se ainda a Barcelos.