Politica

Um em cada quatro portugueses admite votar na extrema-direita em sondagem

Marcelo Rebelo de Sousa baixou a popularidade

Uma sondagem da Aximage, para o Correio da Manhã, revela que mais de um quarto dos inquiridos não afasta a hipótese de vir a votar num partido considerado de extrema-direita.

À pergunta: “Se em Portugal surgisse um novo partido a falar alto contra imigrantes ilegais e contra a corrupção, o eleitorado das restantes formações políticas mudaria o sentido de voto?”, cerca de 27% dos inquiridos responderam que “sim”, "de certeza", ou "talvez".

Por outro lado, a grande maioria dos inquiridos, 63,1%, rejeitou a ideia de vir a dar o voto a um partido considerado populista.

No mesmo inquérito, é revelado que o PS venceria. Ainda que PSD e CDS se juntassem, os votos destes dois partidos não teriam peso suficiente para retirar António Costa do poder.

A abstenção, segundo a sondagem, também voltou a subir em dezembro, tendo chegado aos 33,4%.

Na sondagem, o ministro das Finanças, Mário Centeno, é considerado pelos inquiridos como o melhor ministro, tendo reunido 29,4% das preferências. No outro extremo, é Tiago Brandão Rodrigues quem fica pior classificado. No geral, a popularidade de todos os titulares políticos baixou, nem o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, escapou à tendência de descida, tendo ficado abaixo dos 17 valores.