Politica

Direita diz que Financial Times "não tem conhecimento do quotidiano" em Portugal

PSD e CDS desvalorizam elogios feitos por editorial do Financial Times a António Costa e à geringonça. 

O presidente do PSD foi o primeiro partido da direita a reagir ao elogioso editorial intitulado "As perspetivas positivas de Portugal dão à Europa alguma esperança", publicado, este domingo, no Financial Times. 

“É a opinião de alguém que até está longe. É a opinião desse jornalista, está longe da Europa e particularmente está longe de Portugal e não tem conhecimento do que é o quotidiano aqui", começou por dizer Rui Rio questionado pelos jornalistas à margem de uma visita às instalações da Cercimarco, em Alpendurada, no concelho de Marco de Canaveses.

O dirigente social-democrata acrescentou que se o jornal britânico tivesse a informação de que "o défice externo já aumentou outra vez" provavelmente tinha feito outra análise do país. "Isto quer dizer que o endividamento de Portugal face ao exterior está a aumentar. Esse endividamento externo de Portugal face ao exterior foi aquilo que há uns anos determinou a falência (...) Se quiser dizer estas coisas ao homem ou mulher do Financial Times talvez mudem de opinião", afirmou Rio. 

O presidente do PSD recordou ainda que "este Governo falhou notoriamente nos serviços públicos. Temos a carga fiscal máxima, que nunca foi tão pesada, pagamos impostos como nunca pagamos e devíamos ter melhores serviços".

CDS fala em "distanciamento". Com um argumento semelhante, a líder do CDS também desvalorizou as palavras do Financial Times reforçando que há um "distanciamento" entre quem escreveu o editorial e do "que é a vida em Portugal".

“Não acredito que as pessoas que vivem em Portugal sintam que a maior carga fiscal de sempre lhes ajuda na sua vida quotidiana, na progressão da sua vida, na forma como a constroem a sua vida, na sua família. Não creio que lhes ajuda, não creio que estejamos no nosso melhor momento”, declarou Assunção Cristas em declarações à RTP. 

Jornal diz que Costa poderá vencer as eleições com maioiria absoluta. O conceituado jornal económico antecipa a vitória do líder socialista nas próximas eleições legislativas e vê Portugal como um símbolo de “esperança” num mundo ocidental cada vez mais marcado pelos movimentos de extrema-direita.

“A esperança vem de um sítio pouco expectável: Portugal viu o seu rating revisto de forma positiva pela agência Moody’s na semana passada. Este sucesso deve-se tanto às escolhas políticas como a uma boa dose de sorte”, pode ler-se na publicação. 

O editorial do Financial Times elogia por diversas vezes o primeiro-ministro português e destaca as habilidades e as escolhas políticas de António Costa.