LifeStyle

Refeições à base de carne crua para cães e gatos podem conter bactérias resistentes e causar infeções também nos humanos

Estudo foi publicado esta quarta-feira.

Refeições à base de carne crua para cães e gatos tornaram-se cada vez mais populares, já que as pessoas querem alimentar os seus animais com algo que entendem como uma dieta natural e saudável. No entanto, algumas destas refeições podem conter bactérias resistentes e causar infeções, tanto nos animais, como nos próprios humanos.

Um estudo, publicado esta quarta-feira na revista Royal Society Open Sciece, e que foi feito com base na compra e teste de amostras de refeições para animais na Suíça, chegou à conclusão que três quartos destas amostras excediam os limites recomendados de bactérias que são conhecidas por causar infeções gastrointestinais, como, por exemplo, a Salmonela. Mais de metade da mesma amostra tinha ainda bactérias resistentes aos medicamentos criados para as matar, o que faz com que tornem determinados antibióticos ineficazes.

Magdalena Nuesch-Inderbinen, investigadora da Universidade de Zurique, e autora principal do estudo, descreveu a conclusão como “preocupante”.

"Estas bactérias incluem vários tipos de E. coli, que podem causar infeções em humanos e animais", explicou, citada pela AFP.

Nos últimos anos, a vendas de refeições feitas a partir de alimentos crus aumentou substancialmente, já que se acredita que esta dieta, a mais natural possível, tem vários benefícios para o animal. Agora, de acordo com a investigação, estes podem representar não só perigo para os animais, como também para os humanos.

"As dietas à base de carne crua podem estar contaminadas com bactérias que são resistentes a vários antibióticos, incluindo aqueles classificados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como extremamente importantes para a medicina humana", afirmou a investigadora.

"Há evidências crescentes de que esses patogénicos representam um risco de doenças infecciosas para os humanos, não apenas durante o manuseio da ração, mas também pela contaminação das superfícies domésticas e pelo contacto próximo com os cães e com as suas fezes", acrescentou.

O estudo aconselha assim todos os donos de cães e gatos que desejam alimentar os seus animais com este tipo de produtos a manusear os alimentos com cuidado e que tenham rígidos padrões de higiene, lembrando que estas bactérias podem representar um grave risco para a saúde humana, principalmente para pessoas vulneráveis, como bebés, idosos, ou grávidas.