Politica

Marcelo volta a falar de uma eventual saída de António Costa a meio da legislatura

Presidente da República diz que "é uma não questão" quando o interrogam sobre uma eventual saída do primeiro-ministro antes do final do mandato, contando com uma "liderança de Governo para quatro anos e cerca de seis meses".


Marcelo Rebelo de Sousa recebeu esta terça-feira o chefe de Estado são-tomense, Carlos Vila Nova, no Palácio de Belém. 

Os jornalistas voltaram a questionar o Presidente da República sobre um eventual cenário de saída de António Costa a meio da legislatura, tendo este reiterado que existirá uma "liderança de Governo para quatro anos e cerca de seis meses".

"É uma não questão, como eu tive ocasião de dizer, ficando para sempre claramente evidente no meu espírito que a caminhada que o Governo que vai ter o seu programa na Assembleia da República depois de amanhã [quinta-feira] e discutido em dois dias é um Governo para quatro anos e cerca de seis meses", disse Marcelo, acrescentando que conta "com uma liderança de Governo para quatro anos e cerca de seis meses"

"Parte dessa caminhada feita em conjunto cronologicamente com o Presidente da República, sendo que o Presidente da República termina o seu mandato mais cedo, termina em 09 de março e não em outubro de 2026", acrescentou.

Já aquando da cerimónia de posse do XXIII Governo Constitucional, o chefe de Estado tinha dito a António Costa que não seria politicamente "fácil" a sua substituição por outra pessoa a meio da legislatura, uma vez que os portugueses "deram a maioria absoluta a um partido, mas também a um homem".

No dia seguinte, Marcelo disse que não tinha feito um ultimato a António Costa e que este era sim "refém do povo".

Os comentários estão desactivados.