Politica

Barómetro Eurosondagem. PS vence em todos os distritos

É este o ponto de situação a um mês das eleições. Até lá algo pode mudar.

Com base na Sondagem hoje publicada e também com o histórico eleitoral dos vários partidos, entendo, com elevado grau de probabilidade, o seguinte cenário para as Legislativas de 6 de Outubro.

A) PS

Pela primeira vez na sua história, será o Partido mais votado em todos os Distritos de Portugal Continental. Nem com a maioria de Sócrates tal ocorreu.

B) PPD/PSD

Terá uma descida inferior a 20 Deputados. Pela primeira vez não elegerá nenhum Deputado no Alentejo, (Portalegre, Évora e Beja).

A sul do Tejo, numa área próxima de 40% do território do Continente, terá 4 a 5 Mandatos.

C) BE

Deverá ter um grupo Parlamentar com dimensão semelhante às Legislativas de 2015. Não deve eleger na R. Autónoma da Madeira.

D) CDS/PP

O seu grupo Parlamentar ficará reduzido no mínimo a metade, tal como ocorreu com o BE há oito anos atrás, imitando também a não eleição do líder Parlamentar. Dos 10 Distritos onde elegem em 2015, deixa de estar representado em metade (Viana do Castelo, Viseu, Santarém, Setúbal e Faro). A sul do Tejo não haverá deputados centristas.

E) CDU

A descida será ligeira, talvez 3 mandatos, pois manter-se-á forte no Sul. O parceiro do PCP, o PEV, deixará de ter Grupo Parlamentar pois só deverá eleger um Deputado.

F) PAN

Passará a ter um grupo Parlamentar (mantendo-se assim 6 na Assembleia da República), pois elegerá Deputados em 3 círculos eleitorais (Lisboa, Porto e Setúbal)

G) Outros Partidos

São obviamente uma incógnita. Para elegerem, necessitam de 1,8% a 1,9% no Distrito de Lisboa, e 2,1% a 2,2% no Distrito do Porto. O principal candidato a ser eleito é Pedro Santana Lopes.

H) Emigração

Certo que haverá simultaneamente mais participação eleitoral e também maior abstenção, fruto do novo e em boa hora, efetuado recenseamento. Também não é novidade o PS ser o partido mais votado na Europa e o PPD/PSD fora. A dúvida situa-se nos segundos eleitos nos dois círculos eleitorais,

Pode ocorrer que na noite de 6 de Outubro, os Portugueses se deitem sem saber se há ou não maioria do PS na Assembleia da República, e ficarmos à espera alguns (esperamos que poucos) dias.

*Politólogo e Administrador da Eurosondagem