aqui-entre-nos


  • A ameaça dos mercados

    Um dos argumentos mais repetidos pela esquerda como arma de arremesso contra os adversários do acordo PS-PCP-BE tem sido o de que não se pode invocar a ameaça dos mercados financeiros para desaconselhar tal acordo porque isso é reconhecer e aceitar uma insuportável limitação da democracia portuguesa. É fácil gritar contra a ingerência dos mercados…

    A ameaça dos mercados

  • A derrota de Cavaco… e de Soares

    Por mais que a apresentação no Parlamento de um Governo PSD/CDS se afigure «uma perda de tempo», como dizem os parceiros da promitente aliança de esquerda que se propõe derrubá-lo, ninguém compreenderia que se negasse à coligação a oportunidade de tentar fazer passar esse Governo.

    A derrota de Cavaco… e de Soares

  • O mistério dos indecisos

    É difícil conceber uma campanha que contribua mais para confundir do que para esclarecer os eleitores e ajudá-los a decidir em quem votar. Mas é assim que no-la apresentam as sondagens. Supondo-se que os sondados não se mancomunaram para trocar as voltas aos sondadores, o crescimento contínuo do ‘partido’ dos indecisos, à medida que se…

    O mistério dos indecisos

  • O amável Jerónimo

    Jerónimo de Sousa está na política ativa desde a Assembleia Constituinte e isso nota-se. Não pelos cabelos brancos e outros sinais da idade que nos marcam a todos os que vivemos esse período, mas porque o seu discurso de hoje – e, sobretudo, a sua linguagem – pouco se distingue do de há quarenta anos.

    O amável Jerónimo

  • O tamanho não é tudo

    As eleições legislativas mais concorridas de sempre, com 20 candidaturas envolvendo 23 partidos, dos quais sete se apresentam pela primeira vez, deviam ser também as mais disputadas de sempre, aquelas em que o confronto de ideias e de propostas tomaria conta do espaço público, concentrando a atenção do país e mobilizando os eleitores para um…

    O tamanho não é tudo

  • Belém e a partidarite

    Qualquer cidadão maior de 35 anos e no uso dos seus direitos políticos pode candidatar-se a Presidente da República, desde que reúna as assinaturas de 7.500 proponentes. É o que diz a lei. Tratando-se de uma eleição individual, é também aquela que, no ordenamento político em vigor, melhor responde à afirmação da cidadania, sem tutelas…

    Belém e a partidarite

  • Marinho e a Igreja Maná

    O jornalista António Marinho, que passou a ser conhecido por Marinho e Pinto quando chegou a bastonário da Ordem dos Advogados, depois deputado ao Parlamento Europeu em nome do Partido da Terra, do qual se afastou, assim que se viu eleito, para fundar o Partido Democrático e Republicano (PDR), mantendo, porém, a sua cadeira em…

    Marinho e a Igreja Maná

  • O Benfica, a PSP e a festa

    O presidente do Benfica, ou alguém por ele, convidou para o jogo do próximo domingo, a família agredida em Guimarães por um elemento da PSP cujo comportamento provocou justificada indignação e revolta. Um comportamento indigno de um agente policial, e ainda mais de um graduado, que não pode deixar de ter consequências, sob pena de…

    O Benfica, a PSP e a festa

  • A fé de Pedro e Paulo

    O surpreendente resultado das eleições inglesas deu um novo alento à coligação no poder em Portugal, cujos líderes se apressaram a comparar as situações dos dois países e a colar-se ao grande vencedor da noite: Passos felicitando o seu colega David Cameron com uma proximidade e uma sintonia políticas mais ou menos insuspeitadas até agora,…

    A fé de Pedro e Paulo

  • Na morte de Bia

    A presidente do Instituto da Criança diz que a família, em geral considerada “um lugar de afectos”, é, em muitos casos, um “lugar de tormento”. Dulce Rocha sabe do que fala e as notícias dos últimos dias dão-lhe inteira razão. Em menos de uma semana, um bebé de seis meses foi assassinado pelo próprio pai…

    Na morte de Bia